Poesia  /  De Ombro na Ombreira  /  O Suja-Chaminés

O Suja-Chaminés

Da gaiola de vidro, à prova de bala,
o suja-chaminés observava a sala.

Reforçara-se muito, nos últimos meses,
a sua fé em Deus.

Não nesse que desce pela chaminé
e entretém, candidamente, a nossa fé.
Mas num Deus mais volátil,
de iconografia mais industrial,
sempre a subir ao céu por toda a eternidade.

Na gaiola de vidro, à prova de bala,
o suja-chaminés era visto da sala.

Diz-se que, afinal,
matou menos judeus do que se julgava.