Poesia  /  As Horas já de Números Vestidas  /  Perikitsch

Perikitsch

Coisa-pássaro,
o periquito auriverde
no osso de choco afia
seu gorjeio, sua verve.

Enche-me a casa, debita
o Verdi, a Maria Rita.

Dou-lhe corda
(é um artista!),
corda de aço ou de alpista.

Tanto basta
para que ele ponha em hasta
seu mecânico talento.

Perikitsch, meu portento!