Poesia  /  As Horas já de Números Vestidas  /  Desenquadros: Sardanisca Imiscuindo-Se num Poema

Desenquadros: Sardanisca Imiscuindo-Se num Poema

Por entre colunas de palavras (graves, agudas, esdrúxulas, esdrúxulas) a sardanisca entra no poema. Levanta a cabecinha. Olha as rimas, umas a chorar, outras a rir, outras a cantar. Sacode a cauda, afasta um advérbio. Com o focinho faz balançar uma cedilha. Um ão assusta-a. Encara substantivos. São coisas? Papa um til. Sai do poema para uma laje sobreaquecida. Adormece. É apanhada por uma pinça, metida numa caixa de fósforos marca Pátria. Colecção.

gdpr-image
Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site está a consentir na sua utilização.
Caso pretenda saber mais, consulte a nossa política de privacidade